“… mais forte do que nunca.”

Das dificuldades vem a força, parece ser este o lema dos Scar For Life que após algum período de indefinição no seu line-up surge neste terceiro disco de originais mais forte do que nunca.

As entradas de João Colaço (Ex-More Than Thousand) e de João Silva (que regista alguns timbres vocais a lembrar Bruce Dickinson) bem acompanhado por Dinho e a espaços por Jane Castro, representam reais mais valias. O primeiro “lidera” de forma imperial a secção ritmica, enquanto que o segundo demonstra uma voz com uma versatilidade mais adequada a uma banda de Metal.

Nem só a nivel de formação se registam alterações, a música de Scar For Life em “3 Minute Silence” surge com nova dinamica, com uma maior riqueza de texturas e outra abrangência de sonoridades sinal de uma maturidade e segurança que se traduz em composições cada mais ambiciosas. A identidade contudo mantem-se intacta, a conjugação de peso com melodia são o habitual “selo” desta banda apresentado-se aqui ainda mais “oleada”. Dos ritmos galopantes ‘à lá Heavy Metal’ aos elementos mais complexos dignos do Prog Metal, passando pela melancolia que não escondem uma faceta gótica da banda (ainda que timida), sem esquecer o peso e melodia do Death Metal melódico, “3 Minute Silence” resulta num compendio de Metal contemporaneo e arrebatador.

O disco começa com uma descarga de adrenalina designada por “Last Crow”, dois hinos ao espírito do bom e velho Heavy Metal que são “Metabolic” e “White Shades”. Esta toada forte e ritmada é interrompida pelo curto e acustico “Interlude 1948″ voltando a banda aos caminhos pesados e electricos em “Burn It All” que conta com a participação de Kari Vähäkuopus (Catamenia). “Before The Storm” é um dos grandes momentos deste registo, registando equilibrio perfeito entre peso e melodia. “One More Day” veste a roupa de balada envolvente. Nos dinamicos e envolventes “3 Minute Silence” e “The Journey” é tempo das guitarras brilharem devidamente acompanhadas pela voz de Colaço. “Old Man” é daquelas musicas que por si justificam a aquisição do álbum. O tema é de uma intensidade dramatica inebriante, com o piano de Nelson Raposo e essencialmente o violino de Anne Vitorino D’Almeida (grande nivel também em “One Mor Day”) e brilharem intensamente. “Brave Enough” seria uma excelente forma de finalizar o álbum (não fosse a versão instrumental de “One More Day” o ulimo tema), o tema é bem demonstrativo do potencial de Scar For Life, intercalando ritmos acelerados com pequenos mas muito bem conseguidos momentos de melodia graças ao trabalho das guitarras e culminando com a excelente prestação do teclista convidado Ged Rylands (ex-Ten), merecendo também destaque o optimo trabalho de vozes ora gutural ou numa toada mais melodica.

Com edição de Infektion Records (agendada para Setembro próximo), “3 Minute Silence” é não só uma cabal demonstração da superior capacidade desta banda, que atinge uma naturidade assinalável, mas é também sinal de que com estabilidade na sua formação Scar For Life têm potencial para ainda se superar futuramente.

Paulo Trindade

(The original review is no longer available online)